Segmentação no e-commerce – Necessidade e estratégia

A estratégia de segmentação no e-commerce é sem dúvida alguma uma das principais estratégias para uma loja virtual de sucesso. Sempre que escrevo um artigo sobre planejamento e planos de negócios para comércio eletrônico faço sempre questão de deixar isso em evidência. Em nossos treinamentos somos enfáticos em relação a nichos de mercado justamente por sabermos que esse é o melhor caminho, principalmente para os pequenos e médios empresários que se lançam agora no e-commerce.

Tratarmos a segmentação no e-commerce somente como uma questão de atuação em nichos de mercado é uma visão míope já que outros aspectos das estratégias adotadas no e-commerce, como o conhecimento do público-alvo, suas demandas e preferências também fazem parte do processo de segmentação no comércio eletrônico. Tudo, na verdade, começa na etapa do planejamento do e-commerce, quando a criação de uma estratégia de oceano azul já coloca você em vantagem diante da concorrência.

Segmentação no e-commerce orienta a linha de atuação

No e-commerce, como em outras áreas dos negócios online, ter um conhecimento profundo do público-alvo que se deseja atingir é essencial para diversos aspectos da operação como a definição do mix de produtos oferecidos e também na estratégia de marketing online a ser adotada.

O e-consumidor busca por lojas virtuais que além de oferecerem os produtos que ele busca, tenham também uma identificação direta com o seu estilo de vida. Dai a necessidade de um conhecimento profundo dos hábitos e costumes dos seus clientes para apresentar a eles um ambiente com o qual eles se identifiquem e confiem. Dessa forma, você não só está preparado para conquistar novos clientes, mas também terá mais chances de fidelizá-los.

A própria linguagem usada nas lojas virtuais e ações de marketing online, principalmente nas redes sociais, é uma estratégia de segmentação no e-commerce.

Pode parecer detalhismo, mas a segmentação no comércio eletrônico começa pela linguagem utilizada para atrair a atenção do consumidor. Dá para imaginas uma loja de artigos para o público jovem com um linguajar prolixo na descrição de produtos, política de trocas e até mesmo nas ações de marketing digital?

Até mesmo dentro de um público previamente segmentado, o tratamento diferenciado faz diferença. No caso do e-mail marketing, por exemplo, a segmentação por gênero já faz uma grande diferença na taxa de conversão das ações. Os Facebook Ads são outro exemplo de segmentação no e-commerce. Com eles podemos direcionar nosso, anúncios no Facebook de forma muito precisa, aumentando assim a eficácia das campanhas.

Segmentação no e-commerce como estratégia do negócio

Taxa de conversão e a segmentação no e-commerce

A taxa de conversão de uma loja virtual está intimamente ligada à segmentação no e-commerce, principalmente no que diz respeito às campanhas de marketing digital.

Quanto mais segmentada for uma campanha maior será a sua taxa de conversão. Não importa o canal, SEO, links patrocinados ou redes sociais, o segredo de uma campanha de web marketing sempre acaba focado na segmentação do público-alvo a ser impactado.

Vejamos um exemplo clássico, os anúncios no Facebook. O grande segredo dos Facebook Ads está justamente na etapa de segmentação do público para o qual os anúncios serão mostrados. Isso tem feito inclusive parte dos anunciantes do Google Ads migrarem para os Facebook Ads.

Quando em nossa consultoria notamos que a estrutura de uma loja virtual está perfeita e mesmo assim a taxa de conversão está abaixo do ideal, o primeiro item a ser verificado é justamente a segmentação das campanhas online.

Como você pode ver, a segmentação no comércio eletrônico vai muito além da escolha do nicho de mercado em que você pretende atuar. Seja na escolha do segmento de atuação ou na elaboração de campanhas de marketing, a segmentação no e-commerce sempre ocupará posição de destaque como referência para o projeto.

Avalie este artigo!