Facilitadores de pagamento em compras internacionais

As coisas ficarão melhores para quem utiliza facilitadores de pagamento em sua loja virtual. O Banco Central publicou no mês passado uma circular com a regulamentação de vendas para o exterior para os chamados facilitadores de pagamento, como Pagamento Digital e PagSeguro. A aprovação desse novo mecanismo havia sido aprovada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) no fim do mês passado.

Com essa decisão do CMN fica aberta a possibilidade para que as lojas virtuais e outras empresas brasileiras usem esses meios de pagamentos em vendas para o exterior, possibilidade que não existia até agora. Com isso é esperado um aumento nas vendas do comércio eletrônico. “A medida elimina uma assimetria até então existente desfavorável às empresas brasileiras, passando a permitir aos exportadores nacionais, competir, no ambiente de comércio eletrônico, em condições similares com seus concorrentes estrangeiros”, explicou o Banco Central.

Uma nova etapa para o e-commerce

Com essa decisão do Banco Central as pequenas empresas de comércio eletrônico nacional passam para um novo patamar de vendas com a abertura do mercado internacional também para elas. Em nosso curso sobre criação de lojas virtuais, sempre indico esse tipo de solução para quem está iniciando no e-commerce por ser uma solução de pagamento mais fácil de ser implementada e reduzir de forma significativa os problemas com fraudes e chargeback. Facilitadores de pagamento como o Pagamento Digital e PagSeguro poderão agora aceitar compras que sejam feitas fora do Brasil o que deverá ajudar às pequenas lojas e também outras atividades de venda que envolvem o pagamento online através de cartões de crédito.

Muitas lojas virtuais como as de artesanato, perdiam muitas vendas internacionais por estarem utilizando essa forma de pagamento. Para evitar isso era necessário implantar o pagamento direto com as administradoras o que as obrigava a criar toda uma estrutura de acompanhamento de operações e instalação de sistemas anti-fraude, o que elevava bastante os custos operacionais. Agora, isso deve ficar mais fácil e esse novo mercado deverá trazer novo fôlego para o pequeno empreendedor digital.

Outro grupo que será bastante beneficiado com essa medida são pequenos e médios hotéis e pousadas, além de operadoras turísticas que com a chegada dos eventos como Copa do Mundo e Olimpíadas poderão realizar vendas através dessas empresas facilitadoras.

Novos mercados e novos desafios

Com a liberação das vendas para o exterior através de facilitadores de pagamento o comércio eletrônico nacional também deverá encarar novos desafios. Para poderem atuar nesses mercados, as lojas virtuais e outros modelos de comércio eletrônico deverão incorporar em suas plataformas a opção de conteúdo em outras línguas e processos de conversão de moedas para que o consumidor estrangeiro possa se orientar. Isso irá requerer mudanças bastante significativas nessas plataformas e ao mesmo tempo aumentar a competição entre as empresas que fornecem esse tipo de solução. Na planilha de check list que usamos no curso sobre criação de lojas virtuais nós já estaremos incorporando esse critério para a seleção de uma plataforma de e-commerce.

Além dessas mudanças tecnológicas, também o pessoal da parte operacional deverá estar preparado para esse novo ambiente e dominar não só a língua estrangeira como também as práticas comerciais internacionais nessas modalidades de pagamento.

Josiane Osório, coordenadora de cursos e instrutora do Curso de E-Commerce

Avalie este artigo!