Pesquisa mostra que eleitores americanos esperam candidatos no Facebook

Nas eleições de 2012 no Brasil o marketing político digital vai ter nas mídias sociais uma de suas principais ferramentas. Nos Estados Unidos isso já está acontecendo. Em pesquisa feita pela Harris Interactive, 38% dos americanos afirmaram que informações divulgadas no Facebook irão influenciar suas decisões de voto tanto quanto fontes tradicionais influenciaram nas últimas eleições. Percebe-se uma mudança de palco para o marketing político, do tradicional para o digital.

A importância do marketing político digital nas eleições americanas toma uma proporção ainda maior quando se sabe, que lá, onde o voto não é obrigatório, 88% dos usuários de mídias sociais são eleitores registrados.  Na pesquisa que contou com um universo de 2.361 pessoas entrevistadas, 61% dos eleitores disseram esperar que os candidatos tenham uma presença nas mídias sociais. A pesquisa também aponta que um volume bastante significativo do eleitorado na faixa etária entre 18 e 34 anos afirma que irá buscar informações sobre os candidatos nas redes sociais como Facebook e Twitter.

Marketing político digital deve envolver Facebook também aqui no Brasil

Como dissemos no artigo anterior sobre marketing político digital, nas próximas eleições aqui no Brasil, a tendência é de um uso significativo do marketing online e suas ferramentas na disputa pelas prefeituras e câmaras municipais. Entre essas diversas ferramentas, certamente redes sociais como Facebook, Twitter e Orkut deverão ocupar um lugar de destaque. No caso específico do Facebook, ao que parece, as Páginas de Fãs serão o grande palanque digital. O problema é que aqui no Brasil essas campanhas ainda não começaram; um grande erro.

Então, enquanto a disputa por aqui não acontece, vejamos o que diz a pesquisa sobre o eleitorado americano.

 

É nesse cenário que o marketing político digital deverá atuar em 2012 lá e também aqui no Brasil. O eleitor exigirá um posicionamento digital de seus candidatos e o canal serão as mídias sociais, entre outros.

Avalie este artigo!