Problemas com logística ameaça o avanço do comércio eletrônico

O forte crescimento do comércio eletrônico no País passou de motivo de comemoração das lojas virtuais brasileiras a foco de preocupações dos empresários. O modelo de negócios, extremamente dependente da logística, se esforça para driblar a falta de preparação das transportadoras para atender o aumento da demanda e pode enfrentar problemas no Natal, época em que as compras batem recordes.

A avaliação é do gerente-geral de operações e e-commerce do Magazine Luiza, Ronaldo Magalhães. “O Brasil não está preparado para atender a demanda. Nossa logística não está preparada”, afirmou ontem em congresso promovido pela Associação Nacional de Jornais, no Rio. Segundo Magalhães, a maioria das transportadoras é pequena e ainda pouco profissionalizada.

Para o professor do Ibmec-RJ Ruy Quintaes, o problema ocorre porque o setor de transporte de cargas é pouco atrativo no Brasil. “Não é incompetência nem falta de vontade de investir. Mas as transportadoras enfrentam problemas de violência e de infraestrutura.” O problema, afirma, ocorre tanto em estradas como aeroportos. “O governo tem aplicado poucos recursos nessa área, desestimulando o investimento das empresas”, diz. A falta de segurança e a infraestrutura deficiente trazem outro entrave, o alto preço dos seguros, avalia Quintaes. “No Natal, haverá um problema muito grave”, declarou.

Situação preocupante e risco de colapso

O Brasil possui atualmente uma ótima estrutura para quem deseja montar uma loja virtual. Os softwares para a criação da loja virtual tem qualidade comparável aos produzidos em qualquer lugar do mundo, as formas de pagamento disponíveis são sofisticadas e seguras e o mercado publicitário possui profissionais de primeiro nível. O último pilar do projeto é justamente a questão da logística que desempenha papel fundamental em qualquer projeto de e-commerce. Se não houver um movimento no sentido de garantir a infraestrutura necessária para o cumprimento dos prazos corremos o risco de vermos todos os esforços para o crescimento do comércio eletrônico no Brasil sendo jogados no ralo da burocracia estatal.

Existe um certo cheiro de #Fail nas entregas justamente na época do Natal. Vamos esperar e conferir.