Plano de negócios para e-commerce – Erros a serem evitados

A elaboração de um plano de negócios para e-commerce é uma das mais importantes etapas de um projeto de e-commerce. Ter suas diretrizes bem definidas e claras ajudará em muito na hora de decidir entre as diversas opções e recursos para o seu negócio. Se você está pensando em entrar para o mundo do comércio eletrônico, é bom estar ciente de que o planejamento no e-commerce é uma das principais rotas para o sucesso.

Um plano de negócios para e-commerce não é o trabalho que se faça em alguns poucos minutos. É comum dedicarmos dias de pesquisas e tabulação de dados, mas é uma tarefa que se paga a muito curto prazo.

Não entender a importância do plano de negócio para e-commerce

Um plano de negócios para comércio eletrônico não é apenas um documento formal onde você escreve uma série de coisas e depois esquece largado em uma gaveta ou pasta do HD. Cronogramas, metas e objetivos devem ser seguidos à risca e atualizados com frequência. Tendo um roteiro para criação do seu e-commerce você além de evitar as armadilhas comuns nesse tipo de negócio ainda lhe poupa muito dinheiro.

Pesquisas feitas sem as ferramentas adequadas

Fazer uma boa pesquisa de mercado é essencial para a definição de um bom plano de negócios para embasar um projeto de e-commerce. Tome cuidado na hora de coletar os dados para suas análises. Busque suas informações em fontes confiáveis que apliquem uma metodologia de coleta e estatística sólida.

O próprio Google pode lhe ajudar em muito nessa pesquisa. Existem ferramentas muito boas e gratuitas como o Google Trends, por exemplo, que podem ajudar em muito no entendimento do mercado e elaboração de projeções.

Falta de objetividade e clareza

Um plano de negócios para e-commerce precisa ser muito claro e objetivo. É necessário deixar bem claros itens como:

  • Quais as metas de vendas?
  • Qual a visão futura do negócio?
  • Quais as estratégias para o empreendimento?
  • O cronograma está bem claro?

A proposta do negócio precisa estar bem clara em qualquer plano de negócios para comércio eletrônico. Não adianta nada criar um plano de negócios repleto de clichês e carente de objetividade. Isso pode impressionar um gerente de banco medíocre, mas não um analista de investimentos.

Plano de negócios generalista

Um erro muito parecido com o anterior, só que aplicado às especificações. Um plano de negócios para e-commerce deve ser o mais detalhado possível, com uma descrição bem clara da estratégia de gestão, definição de público-alvo, canais de marketing. É nesse detalhamento que muitas vezes identificamos custos ocultos que muitas vezes nos trazem problemas durante a etapa de execução do projeto.

Plano de negócios para e-commerce

Erros na avaliação da concorrência

Toda vez que vejo em um plano de negócios para empreendimentos online expressões do tipo “nossa proposta é tão inovadora que não existe concorrência” sinto um frio na barriga. Em primeiro lugar, porque atualmente é difícil ver algo tão inovador assim na Internet nos dias de hoje, o segundo motivo é que a possibilidade de cópia e adaptação sempre existe.

Esses riscos devem ser relacionados e mensurados durante a análise SWOT do projeto. No caso do boom dos sites de compras coletivas, por exemplo, o risco do modelo de negócios de fácil reprodução foi mal avaliado por muitas empresas que tiveram que encarar uma concorrência não estimada inicialmente.

Marketing digital mal estruturado

Com a diversidade de canais disponíveis atualmente no marketing online é preciso determinar exatamente que tipo de estratégia será adotada em áreas como:

  • Marketing de busca – SEO e Links Patrocinados
  • E-mail marketing
  • Redes sociais

Muitas dessas áreas, como SEO e redes sociais exigem tempo para começarem a gerar tráfego e conversões. Qual o prazo de maturação dessas ações? Você tem uma estratégia definida para superar estes momentos iniciais? O plano de negócios para e-commerce deve prever estes primeiros momentos de “esquenta” do marketing online.

Projeções de mercado infladas

Outro erro muito comum em planos de negócios para e-commerce é uma super avaliação do mercado consumidor digital. Faça projeções realistas sobre o tamanho do mercado e o market share que o seu projeto pretende atingir. Como no mundo físico, um projeto de e-commerce também tem um prazo para o retorno do investimento inicial.

Planilhas financeiras incompletas

O e-commerce possui diversos custos ocultos, principalmente para os iniciantes. Aliado a isso, ainda existe a falsa ideia de que as coisas na Internet são grátis.

Em nosso curso sobre criação de lojas virtuais, muitas vezes os participantes se surpreendem com a quantidade de itens presentes na planilha de planejamento de custos de instalação de uma loja virtual. Essa é uma armadilha que muitas vezes leva à lona um bom projeto de e-commerce.

Além do conhecimento das reais necessidades de investimento, um bom plano de negócios para e-commerce precisa ter descrição da fonte de capital, projeção de cenários, cálculo do ponto de equilíbrio do empreendimento, projeções do fluxo de caixa e detalhamento das necessidades de capital de giro. Tudo da mesma forma como é feito no mundo físico.

Capacitação de pessoal

Um dos principais problemas no e-commerce atualmente no Brasil é a falta de mão de obra qualificada. Seu plano de negócio está levando esse aspecto em consideração? Com a escassez de mão de obra os salários sofrem uma forte pressão de alta. Isso também está previsto?

Outro fator a ser considerado é a capacitação de pessoal dos próprios quadros da empresa através de treinamentos In Company. Nada de colocar a “menina da contabilidade que sabe tudo de MSN” para gerenciar a loja virtual. Comércio eletrônico é coisa séria e por isso precisa de profissionais qualificados nesse segmento de atuação.

Ignorar os riscos do negócio

Não se iluda, pois todo negócio tem riscos e talvez no mundo digital esses riscos sejam ainda maiores. Não é pelo fato do comércio eletrônico no Brasil estar crescendo a uma taxa histórica de 30% nos últimos cinco anos que ele também não tenha seus riscos. O risco sistêmico não pode ser eliminado de nenhum negócio. Um plano de negócios para e-commerce que ignore esse aspecto nada mais é do que uma peça de ficção.

Estes são alguns erros em plano de negócios para e-commerce que considero mais críticos e que de certa forma, podem ser evitados com relativa facilidade. E você? Tem algum a acrescentar? Deixe seu comentário. Mantenha-se atualizado assinando a nossa Newsletter.

Plano de negócios para e-commerce e os erros mais comuns
5 (100%) 12 voto[s]