Mitos e verdades sobre usabilidade na Web

Muitos mitos sobre usabilidade na web e boas práticas na construção de sites são tidos como verdades absolutas. Saiba o que os gurus da usabilidade dizem sobre eles e utilize técnicas que realmente funcionam para fazer do seu negócio um case de sucesso.

Mito 1 – As pessoas leem na internet

Estudos comprovam que as pessoas não leem todo o texto da página do seu site, eles escaneiam a página buscando pela informação de interesse, por isso, invista em textos concisos e divida-o com subtítulos que facilitem a identificação dos trechos.

Mito 2 – Todas as páginas devem ser acessadas em 3 cliques

Testes de usabilidade têm desafiado a chamada regra dos 3 cliques. Ao contrário da crença popular, o internauta não deixará seu site se não conseguir encontrar a informação que procura nos primeiros 3 cliques. A verdade é que não são poucos cliques que trazem satisfação aos internautas, o que realmente conta é a facilidade da navegação. Se o usuário não precisar pensar em cada clique que der, ele não se importará em dar alguns cliques a mais.

Mito 3 – As pessoas não têm o hábito de rolar as páginas que visitam

Na década de 90 as pessoas não tinham o hábito de usar a barra de rolagem das páginas que visitavam, porém, hoje em dia esta atitude é absolutamente comum. Criar páginas que utilizam a barra de rolagem é muito melhor que dividir o conteúdo em várias outras páginas.

Você não precisa espremer tudo no topo do site para se certificar que o usuário encontrará a informação de seu interesse. Basta seguir alguns princípios de design e criar um conteúdo que mantenha o usuário interessado.

Mito 4 – Design é a arte de fazer um site mais bonito

Muitos pensam que web design se trata da arte de decorar um site, entretanto, design é mais que simplesmente enfeites e adornos, o design está focado no funcionamento. Design é forma e função que, diferentemente de arte, não trabalha com o apelo emocional, mas com o uso.

O objetivo do designer é entender como o internauta pensa e se comporta e, baseado nisso, solucionar problemas com eficiência. Suas ferramentas são mais que paletas de cores e uma boa biblioteca de fontes, mas também inclui pesquisa de comportamento de usuários, prototipagem, testes de usabilidade, navegação e muito mais.

Mito 5 – Sites amigáveis são feios

Criar sites amigáveis significa deixá-los disponíveis a diferentes ferramentas de acesso. A chave para ter um site amigável é separar o conteúdo – HTML, da parte visual – CSS, de forma a permitir àqueles que quiserem ou precisarem, a utilização de folhas de estilo próprias.

Mito 6 – Belas imagens aumentam a visibilidade do conteúdo

Um engano comum em webdesign é acreditar que utilizando imagens, figuras e gráficos você tornará o conteúdo da página mais visível aos internautas. Entretanto, em muitos casos, pode ocorrer o oposto. Quando as pessoas procuram por algo específico, elas procuram nos títulos e nos links da página onde esperam que a informação esteja disponível.

Isto não significa que enfatizar elementos não funcione. Contrastes de cores ou tamanhos, funcionam muito bem para destacar as informações importantes, desde que não seja usado em exagero.

Mito 7 – O Design tem que ser original

Muitos designers preferem reinventar a roda a adaptar layouts convencionais de websites. Devemos considerar que os layouts convencionais já passaram por testes de usabilidade e as pessoas estão acostumadas com eles. Usuários gostam de ver algo novo, mas você tem que estar 100% certo que a sua solução é melhor que as habituais.

Mito 8 – Se seu design é bom, pequenos detalhes não importam

“Um detalhe não é um detalhe, dele se faz o design.” já dizia Charles Eames. Detalhes finos e páginas de menor destaque como as páginas de erro, avisos rápidos, assinatura de e-mails enviados ou a reorganização dos produtos por categoria têm grande impacto na experiência do usuário.

Mito 9 – Você precisa redesenhar seu site periodicamente

Muitas vezes, redesenhar uma página não significa que você terá mais usuários ou novos compradores visitando seu site, na verdade, inúmeros usuários dizem odiar mudanças bruscas, mesmo que o novo design seja claramente superior ao original. Lembre-se que a maioria das pessoas são resistentes à mudanças.

Mitos e verdades sobre usabilidade na Web

Mito 10 – Quanto mais escolhas o internauta tiver, mais satisfeito ficará

Dar opções de escolha é considerado algo bom. Nós valorizamos escolhas e ficamos satisfeitos se estivermos no controle. Contudo, quanto mais escolhas um website oferece, mais difícil fica de entender sua interface. Estudos mostram que ter muitas escolhas podem deixar um usuário paralisado e frustrado. Em uma loja virtual por exemplo, como regra geral, as pessoas somente valorizam a variedade de características antes de iniciarem o processo de compra. Depois de começarem, a solução mais simples traz mais satisfação.

Mito 11 – Ícones elevam a usabilidade

Muitas pesquisas indicam que o excesso no uso de ícones torna a memorização difícil e a navegação mais ineficiente. A barra de ferramentas do Outlook é um bom exemplo disso. A barra de ferramentas composta apenas por ícones, torna a usabilidade pobre. O que realmente tem efeito positivo é quando o ícone vem com uma legenda ao lado. Estudos mostram que barras de navegação compostas de textos e ícones aumentam a usabilidade e facilita a memorização. Outros estudos apontam que as pessoas memorizam o posicionamento dos ícones e não sua forma.

Mito 12 – Seus usuários são como você

Quando começamos a planejar o layout de um site, achamos que os usuários pensam como nós. Pensamentos como este podem levar a uma navegação ineficiente.

Você evidentemente sabe muito sobre seu produto ou serviço, afinal, você é apaixonado por ele. Seus usuários, por outro lado, não se importam tanto com isso. Eles têm atitudes e motivações diferentes e quando entram no seu site, esperam ter rápidos resultados. Conheça seus usuários, envolva-os no processo de navegação e interaja com eles.

Mito 13 – Usuários fazem ótimas escolhas

Num mundo ideal, o usuário lê todo o conteúdo do seu site para encontrar a informação que procura, mas estudos provam que infelizmente isso é uma realidade distante da que vivemos. Os internautas costumam clicar na primeira coisa que atrai seus olhos, isto é, eles irão clicar no primeiro link ou imagem que atenderem as suas expectativas ao entrarem no site e caso a próxima página não seja o que esperavam, eles voltam para a página anterior e procuram por um novo conteúdo.

Para a maioria dos usuários, ir e voltar nas páginas é mais eficiente do que ler todo o conteúdo de uma página para escolher onde clicar.

Mito 14 – Uma boa ferramenta de busca resolve o problema de navegação do site

Em um site de Livros, DVDs, CDs ou jogos, a ferramenta de busca pode ser um excelente instrumento para encontrar tudo o que você procura, pois provavelmente você já sabe o título ou o autor do item procurado. Porém, as pessoas costumam primeiramente procurar por palavras-chave nos menus e submenus para só então utilizar a ferramenta de busca do site, e quando não encontram o que querem, elas não gostam de pensar em palavras similares ou termos próximos daqueles que não trouxeram resultados satisfatórios.

Mito 15 – A home é a página principal do seu site

Muitas pessoas gastam horas trabalhando no design da home do site sem se importar tanto com as demais páginas, pois acham que é ela que determinará o desempenho e a popularidade do site. As páginas internas, principalmente de sites de comércio eletrônico, são tão importantes e devem receber tanta atenção quanto a home, pois as campanhas de marketing online, cada vez mais direcionam os visitantes diretamente para essas páginas de conteúdo específico. Preocupe-se com cada página do seu site como se fosse sua home.

Mito 16 – O Flash só atrapalha

No início da popularidade da internet, dezenas de sites abusavam de animações em Flash sem se importarem com conexões lentas ou com usuários que não possuíam o Flash Player.

De fato, o Flash foi muito criticado e muitos criaram conteúdos sem respeitar os princípios básicos da usabilidade, porém, sua tecnologia evoluiu muito. Agora é compatível com sistemas de indexação e reconhecem o comando do botão voltar dos navegadores. A maioria dos usuários não tem problemas com conteúdos em Flash. É inegável o aumento da popularidade dos sites de compartilhamento de vídeos como o Youtube ou o Vimeo que utilizam players em Flash.

Não devemos, porém, abusar do uso da tecnologia, pois além de corrermos o risco de carregar o conteúdo do site, podemos cair no exagero.

Mito 17 – Você não precisa do conteúdo para desenhar uma página

Muitos designers criam wireframes e compõem seus sites com “lorem ipsum”. O uso de textos frios geralmente resulta em sites esteticamente agradáveis, porém, irreais, e o que é pior, criam a ilusão de que o conteúdo é secundário.

A verdade é que os usuários chegam ao seu site em busca de conteúdo, não de design. O conteúdo é de longe o elemento mais importante no design de interface. Uma página com uma estrutura simples, porém com um conteúdo bem elaborado tem um desempenho muito melhor nos testes de usabilidade do que uma página bonita com textos mal escritos.

Mito 18 – As pessoas sabem dizer o que elas querem

Muitas empresas insistem em perguntar pras pessoas que mudanças elas gostariam de ver em seus sites ou serviços, ignorando os grandes erros históricos do marketing como a Nova Coca ou a Cadeira Aeron.

Nas pesquisas, você precisa estar atento as respostas dos usuários, pois geralmente eles não dizem a verdade sobre o comportamento que eles teriam diante de algo novo, principalmente quando se deparam com um design diferente e desconhecido. Há uma grande diferença entre imaginar-se usando algo e efetivamente utilizá-lo. Além disso, as preferências do ser-humano são instáveis e volúveis.

Por Diego Jusinskas no Blog da VTEX

Avalie este artigo!