Temor com mídias sociais cria empregos nas corporações

A tendência de crescimento da internet brasileira abre caminho para importantes canais de contato para grandes empresas e, consequentemente para uma nova oportunidade profissional, na qual se inclui Roberto Aloureiro, gerente de mídias sociais da Construtora Tecnisa.

“Eu cuido de cerca de 10 mídias sociais diferentes e todas são usadas de acordo com nosso modelo de negócio, tanto para resposta a consumidores quanto para geração de conteúdo”, diz Aloureiro.

Esta é uma das oportunidades de carreira em marketing digital consideradas por profissionais de Recursos Humanos como promissoras para os próximos dez anos.

“As empresas começam a entender a importância de criar uma gestão de mídias sociais para administrar os riscos da imagem de sua marca. Caso isso não ocorra, elas vão começar a ter dificuldade em atingir seus resultados financeiros”, diz André Assef, diretor da Desix, consultoria em recursos humanos especializada em tecnologia da informação.

Benefícios e desafios

O trabalho de Aloureiro, realizado praticamente 24 horas por dia, não o assusta. Ele considera sua remuneração compatível para as cerca de dez horas que passa na empresa e o acompanhamento extra que faz depois do expediente.

“O salário de um profissional que trabalha com mídias sociais pode variar de R$ 3,5 mil a R$ 15 mil, considerando os cargos de analistas a gerente”, afirma.

No final de 2009, Aloureiro, com graduação em Publicidade e MBA em Marketing, chegou a receber duas propostas por semana para trabalhar em outras empresas como gerente de mídias sociais.

“Atualmente 90% dos usuários acreditam no que lêem nas comunidades virtuais. A internet é uma grande rede de informações. Eu cuido dos dados que as pessoas vão encontrar sobre a empresa”.

Porém, segundo Assef, apesar da crescente demanda, engana-se quem pensa que este é um trabalho simples de ser desempenhado.

“A empresa corre riscos ao delegar a alguém o poder de responder por ela e o profissional que assume esta responsabilidade também assume riscos, por isso ele precisa estar muito preparado e a par de todo o planejamento estratégico”, diz o consultor.

Terceirizar ou contratar o profissional de mídias sociais

Apesar de muitas empresas ainda terceirizarem os serviços com agências para atuar nas comunidades virtuais, a demanda pelo profissional interno demonstra ser crescente.

Além da Tecnisa, o Pão de Açúcar também mantém um gerente digital. Até a Casa Branca já aderiu à tendência. Em fevereiro do ano passado o site do governo americano Organizing for America – Barack Obama publicou vaga para Social Networks Manager, ou seja, gerente de redes sociais.

Fonte: Brasil Econômico

Avalie este artigo!