Estratégia de e-commerce em 2016 para vencer a crise e crescer

Veja algumas sugestões para uma estratégia de e-commerce em 2016Ano novo e hora de pensar em qual será sua estratégia de e-commerce em 2016, pois ao que tudo indica, será um ano de fortes ajustes, que exigirá do empreendedor muita técnica e agilidade para se manter no mercado.

O e-commerce brasileiro está cada vez mais maduro e com isso, estamos passando por um momento de seleção natural, onde quem não está bem estruturado, pagará um alto preço por isso. Não há mais espaço para amadorismo.

Ter uma estratégia de e-commerce em 2016 bem detalhada, é uma das formas de garantir a sobrevivência do seu negócio em tempos de dificuldades.

Ajustando os custos do seu e-commerce

Em tempos de vacas gordas, é comum que os empresários relaxem um pouco em termos de custos e retornos, um erro grave, mas recorrente no Brasil, infelizmente. Por isso, para sobreviver à crise econômica de 2016, a primeira coisa a ser feita é rever custos.

Abaixo damos algumas dicas, que apesar de parecerem óbvias sob o ponto de vista das boas práticas da administração de custos, nem sempre são observadas.

Renegocie preços de serviços

Essa é uma providência que você deve tomar logo de saída. Analise o custo, por exemplo, do aluguel da sua plataforma de e-commerce. Compare com outros fornecedores de plataformas de e-commerce, e se estiver muito acima do mercado, tente negociar com o fornecedor.

Não dê ouvidos ao papinho corporativo cheio de expressões do tipo “nossa plataforma é diferenciada” ou outra apelação qualquer. Serviço caro é serviço caro e ponto. Se você achar que não vale a pena continuar, troque de desenvolvedor.

Acredito que você consiga uma boa redução de preço, pois o mercado está difícil também para os desenvolvedores e melhor um cliente pagando menos, do que perdê-lo para a concorrência. A troca de plataforma de e-commerce traz alguns problemas, mas as vezes é uma questão de sobrevivência.

Elimine os penduricalhos

As vezes, na empolgação ou por desconhecimento da real vantagem, o empreendedor acaba contratando serviços adicionais para a loja virtual, que na verdade, não contribuem em nada, ou muito pouco para o aumento das vendas.

Faça uma análise detalhada de todos os sistemas “super hiper mega blaster” que você por ventura tenha contratado para sua loja virtual, e avalia se vale a pena continuar com eles.

Analise suas métricas de rentabilidade

Outra providência urgente é analisar detalhadamente suas métricas de rentabilidade, produto a produto. Quais são os produtos que realmente estão trazendo retorno para sua loja virtual? O que está lá somente para ocupar espaço. O que está lá, não vende tanto, mas é complementar?

Uma estratégia de e-commerce em 2016, como na maioria dos segmentos da economia este ano, deve visar a saúde financeira do negócio para fazer frente às altas taxas de juros, por isso uma análise detalhada dos principais indicadores financeiros do seu e-commerce é uma providência prioritária.

Faça uma revisão do seu mix de produtos

Feita a análise de rentabilidade dos produtos, uma boa providência é fazer agora uma análise do mix de produtos oferecidos pela sua loja. Será que o seu leque de opções não está grande demais e por isso você não consegue dar consistência às vendas?

Para melhorar a rentabilidade do negócio e tornar as campanhas de marketing mais assertivas, talvez seja o caso de você tentar “nichar” o negócio, trabalhando com um mix de produtos mais específico.

As vantagens dos nichos de mercado no e-commerce são muitas e por isso vale a pena pensar seriamente no assunto, para melhorar o desempenho da sua loja e otimizar custos de divulgação.

Desenhe uma estratégia de marketing digital enxuta

Outra área que vem acabando com a rentabilidade das lojas virtuais é a do marketing digital. Se você não tiver custos e retornos na ponta do lápis, ou na planilha Excell, como preferir, está na hora de fazer isso agora mesmo.

Vejamos então algumas providências para melhorar o desempenho das suas vendas em 2016 e otimizar seus investimentos em marketing online.

O Google Analytics é meu Senhor e nada me faltará

Isso mesmo. Esse será o ano de ter o Google Analytics como seu maior conselheiro. É ele quem dirá se o seu negócio está no caminho certo ou não. Em nosso curso de marketing digital costumo dizer que nenhuma campanha de marketing faz sentido se não for monitorada.

Explore todos os recursos do Google Analytics para ter uma visão real do que está acontecendo em sua loja. Analise métricas e KPIs à exaustão, para saber de onde está vindo o dinheiro e onde ele está sendo jogado fora.

Reduza ao máximo o investimento em mídias pagas

É claro que o Google Ads e o Facebook Ads são peças fundamentais nas suas campanhas de marketing, mas você já pensou em sair da zona de conforto e tentar atrair tráfego e conversão de outras formas? Isso mesmo, outras formas de geração de tráfego, elas existem sim sabia?

No marketing de busca por exemplo. Será que você não está deixando de lado a sua estratégia de SEO para e-commerce em função da “comodidade” dos links patrocinados? Em nossos treinamentos sempre digo que SEO é parceiro e links patrocinados são mercenários. Em tempos difíceis, se aproxime ainda mais dos parceiros.

No caso dos Facebook Ads, tente trabalhar melhor sua estratégia de Facebook Marketing voltado para o alcance orgânico, que embora cada vez mais difícil, ainda pode render um bom retorno se estiver sendo feito da maneira correta, com conteúdo relevante e estratégias de interação mais agressivas.

Inbound Marketing como solução

Esse vai ser o ano do Inboud Marketing, ou marketing de conteúdo, como preferirem. Gerar conteúdo relevante, para se tornar uma referência em seu segmento de atuação e dessa forma atrair tráfego para a loja será A estratégia este ano.

Com isso você mata três coelhos com uma cajadada só, consegue uma maior exposição gratuita da marca, aumenta a relevância e autoridade do site junto às ferramentas de busca e ao mesmo tempo gera conversões para sua loja. Quer melhor do que isso?

Se você ainda não tem um blog associado à sua loja virtual, corra e crie o mais rápido possível e comece a inserir posts realmente interessantes, como tutoriais, infográficos, e-books e reviews. Bem estruturado e administrados, ele pode render muito mais conversões do que qualquer outra mídia paga que você encontra por ai.

Estas são apenas algumas diretrizes que achamos importantes para uma estratégia de e-commerce em 2016. É claro que você deve ficar atento às mudanças do mercado, principalmente em um ano tão volátil como promete ser 2016 no Brasil.

Avalie este artigo!