6 erros no Facebook e no Twitter que podem custar seu emprego

Erros no Twitter e Facebook podem causar demissões. Veja como evitarZelosas por sua imagem e segurança, as empresas estão cada vez mais de olho no que funcionários e candidatos publicam nas redes sociais.

Travis Megale está feliz com seu emprego. Usuário habitual do Facebook, ele sabe como usar o site de forma apropriada e o que não dizer nem publicar. Infelizmente, muitos usuários do Facebook não pensam assim – e as demissões causadas por comportamento inadequado na rede social parecem ganhar cada vez mais manchetes.

Uma pesquisa recente da empresa de segurança de e-mail Proofpoint revelou que 7% das organizações já demitiram um empregado por causa de sua atividade em sites de mídia social. Outros 20% disseram que, por causa das redes sociais, empregados tiveram de ser advertidos. São estatísticas como essas que inspirou Megale a criar um grupo no Facebook, intitulado “Fired because of Facebook” (demitido por causa do Facebook).

“Sou professor de High School (equivalente ao Ensino Médio brasileiro) e, por isso, tenho de ter consciência sobre o que publico. Criei o grupo como um sinal de advertência para meus colegas”, disse Megale. “Pessoas com que trabalhei no passado fizeram comentários e publicaram fotos que facilmente poderiam ter causado minha demissão caso tivessem sido vistos pelas pessoas erradas. Minha esperança é que esta página ajude algumas pessoas a evitar erros no Facebook que, embora tolos, possam vir a ter um alto custo.”

Contos de terror

Em um esforço para aumentar a conscientização sobre o tema, o grupo convida os membros que perderam seus empregos por causa de algo que fizeram no Facebook a contarem suas histórias. E os contos sobre mancadas no Facebook que levaram à perda de um trabalho aparecem regularmente.

Exemplos recentes postados no mural do grupo em um período de três dias incluem um membro que escreveu  “Demitido por postar ‘F*** them nuggets’ “ na página de um amigo. Eu fui gerente no McDonalds por três anos. Acabou!”

Outro membro escreveu: “Demitido por não ser ‘uma pessoa do calibre das que nós gostamos de contratar. O que você faz em sua vida pessoal reflete negativamente em nós como empresa”.

É difícil fazer com que um empregado demitido se sinta melhor com isso, mas há razões para uma organização monitorar o comportamento de um funcionário nas redes sociais e tomar atitudes contra situações que julgar problemáticas.

Quando se trata de redes sociais, as questões levantadas pelas empresas tratam frequentemente de reputação e segurança – em especial, relacionadas à imagem da marca e à segurança de seus empregados.

Quais são os comportamentos que um empregador poderia julgar prejudiciais nos perfis online de seus empregados? Eis seis erros que os usuários cometem em sites como Facebook e Twitter, e que poderiam servir de porta para o desemprego.

1 – Postar comentários negativos sobre o trabalho ou a empresa

Pode parecer óbvio, mas para muitas pessoas não é. Alguns membros do Facebook sentem a necessidade de espalhar para amigos e parentes suas opniões sobre o trabalho ou sobre seus colegas de escritório, tudo sob a impressão de que seus perfis permanecem privados.

Mas não é sempre o caso, especialmente se o usuário não soube ativar a privacidade em suas configurações, apontou Tom Eston, do site Socialmediasecurity.com. Os usuários precisam estar mais conscientes não apenas sobre as configurações de privacidade, mas sobre guardar as opiniões relacionadas ao trabalho com eles mesmos.

“Simplesmente não faça”, disse Eston. “Com frequência alguém publicará alguma coisa e depois pensará, dias depois, que talvez não devesse ter feito aquilo. Você não pode culpar a rede social por isso. As pessoas precisam assumir a responsabilidade pelo que publicam.”

Mesmo que você tenha ativado as configurações de privacidade do Facebook, lembre-se que as recentes reformulações do Facebook podem fazer com que as configurações voltem a ser públicas, tornando o conteúdo disponível para qualquer um até que o usuário vá lá e as mude.

Esse foi o caso com uma professora de Cohassett, Massachusetts (EUA), que foi demitida em agosto depois de publicar no Facebook que não imaginava trabalhar por mais um ano naquele distrito escolar. June Talvitie-Siple, que em um recado anterior havia chamado os estudantes de “sacos de germes”, não percebeu que suas configurações tinham sido tornadas públicas depois de uma mudança recente no Facebook. Ela serve como exemplo para que verifiquemos nossas configurações de privacidade com regularidade.

E há aqueles que seriam melhores se caíssem no esquecimento. Como a mulher que desabafou sobre o chefe em um post que já se tornou lenda na Internet. Infelizmente, seu chefe também era um amigo do Facebook e, por isso, podia ver facilmente seu perfil.

A mulher atualizou seu status com uma mensagem que, em português, seria como: “Eu odeio meu trabalho! Meu chefe é um total pervertido, que sempre me faz fazer trabalhos de m***a apenas para me sacanear!”.

Ao que o chefe respondeu: “Acho que você se esqueceu de que tinha me adicionado aqui” e terminou com “Não se importe de voltar aqui amanhã. E sim, é sério.”

2 – Defendendo seu empregador em uma discussão online

Embora seja o oposto da mancada número um, esta também pode ser desastrosa, mesmo que você tenha as melhores intenções.

Isso porque, mesmo que pense que o que está dizendo é correto, você não é um profissional de relações públicas, e o que você publicou pode ser errado ou até prejudicar a empresa. A gigante das redes Cisco Systems deixa claro, em sua política de mídias sociais, que os empregados não deverão se envolver em qualquer debate online sobre a empresa sem permissão específica.

“Quando um empregado vê algo negativo sobre a empresa, algumas vezes seu impulso é o de defender seu empregador, com o qual está perfeitamente satisfeito”, explicou Christopher Burgess, conselheiro sênior de segurança da Cisco. “Você não pode fazer isso com os 140 caracteres do Twitter. O que dizemos ao nosso pessoal é: deixe o pessoal de RP cuidar disso.”

3 – Comentar questões privadas da empresa em fóruns públicos

Então sua empresa está para comprar outra e há rumores sobre demissões? Guarde essa informação para si. Publicar essa informação no Facebook ou no Twitter é quase tão ruim quanto falar à imprensa sobre o assunto. Mesmo que você pense estar falando apenas para pessoas próximas, não há como saber onde a informação irá parar, disse Eston.

“Mesmo se pertencer a um contexto geral, certas informações que poderiam ser confidenciais para uma empresa nunca deveriam ser discutidas.”

Erros no Facebook e Twitter podem custar o seu emprego

4 – Mudar de identidade e fingir ser outra pessoa

Você sempre quer ser honesto sobre quem é. Retomando a regra que trata de falar sobre sua empresa, Burgess explicou que a política da Cisco também proíbe os empregados de disfarçar seu nome ou identidade para se envolver em debates sobre a empresa.

“A política estabelece claramente que o uso de um apelido (ou nome falso) é inaceitável”, disse. “Os empregados deveriam sempre deixar claro seu relacionamento com a empresa.

5 – Oferecer muita informação sobre sua vida pessoal e atividades de lazer

Eston, que costumava trabalhar com segurança em um grande banco, lembra-se de um caso em que muita informação no Twitter não apenas fez uma pessoa perder o emprego como a impediu de ser contratada.

O banco estava fazendo uma verificação de antecedentes sobre uma candidata a vaga e descobriu mais do que gostaria de saber.

“Ela tuitou sobre como esperava poder passar num teste de drogas, e a foto de seu perfil no Twitter a mostrava fumando maconha.”

6 – Publicar fotos de gosto duvidoso

Talvez o maior exemplo deste tipo de mancada seja o caso envolvendo a líder de torcida americana Caitlyn Davis. Ela foi demitida da equipe de futebol americano New England Patriots depois que fotos no Facebook a mostraram empunhando uma caneta marcadora à frente de um homem aparentemente inconsciente, cuja pele estava coberta de desenhos e pichações – entre elas, duas suásticas.

As fotos e as informações pessoais que você publica podem não ser tão ofensivas, mas provavelmente é uma boa ideia mantê-las afastadas das redes sociais, assim como os comentários sobre sua vida pessoal que poderiam levar um empregador a fazer um julgamento negativo sobre você.

Quando usa redes sociais, você quer mostrar sua melhor imagem. Da próxima vez que postar alguma coisa, pergunte a si mesmo se é algo que qualquer um possa ver.

Fonte: IDG Now

Erros no Facebook e Twitter que podem custar o seu emprego
Avalie este artigo!

2010-09-29T13:45:40+00:00 By |Mídias Sociais|

5 Comments

  1. Renata Rezende 31 de maio de 2011 at 15:39 - Reply

    Excelente o texto. Muito bacana mesmo. Abs.

  2. Necessariamente anônimo 18 de janeiro de 2011 at 10:44 - Reply

    É importante perceber que quando as empresas procuram pessoas “proativas” e com “atitude” elas não estão procurando por você; elas esperam que você encaixe nisso (daí o “encaixar no perfil” que tanto falam em entrevistas) e dê lucro à empresa. Não importa se você é pai solteiro, bombeiro condecorado e tetraplégico. Não dê opinião se não perguntarem o que querem que você diga.

    Seja seu chefe um idiota completo, ele estará acima de você e isso, numa escala tacanha similar à diferença entre um faraó e um construtor de pirâmides dentro do sistema de crenças dele construído a tanto custo entre uma ou outra palestra de liderançca de R$4.000,00. Não vá de encontro a essa regra institucional, a menos que você consiga o lugar do seu chefe facilmente, e claro, o demita.

    A individualidade dos empregados (exceto em casos em que isso faz parte do marketing da empresa como “descolada”, cheia de gente legal que veste camisetas com dizeres engraçadinhos e calçam all-star, etc) é algo que pode causar danos à sua imagem. Empresas não são nem metade dos seus empregados juntos. Exatamente porque empresas temem a individualidade.

    Antes das empresas entrarem na Web (na parte social da Web), éramos mais livres e autênticos em nossas críticas. Mesmo com palavras duras éramos senhores dos nosso narizes. Hoje vê-se uma bovinização dos perfis, os sorrisos amarelos se espalham e amamos nosso trabalho, somos nosso trabalho 24h/dia, elogiamos nossos chefes e suas gloriosas empulhações de liderança. Deixamos de ser livres mas mantemos nosso empregos. É uma troca justa? Talvez… Todos temos contas a pagar.

    Agora se você é realmente bom no que faz, porque está trabalhando pra alguém? Porque está dando tanto lucro e ficando com 5% disso? Caia no mundo e eu espero com sinceridade que alcance muito sucesso pela coragem.

    Abraço.

  3. Emily 18 de janeiro de 2011 at 09:25 - Reply

    Exemplos bizarros demais. Existem sutilezas que deixamos passar e são tão importantes quanto…Comportamento, ânimo, atraso, reclamações sobre colegas, comentários sobre farras e coisas que, conversando com os amigos, a gente acha normal mas que pode queimar o filme. 😉

  4. Fatima Zanin 29 de setembro de 2010 at 14:27 - Reply

    De certa forma concordo com as empresas,falar inconvenietes na internet sempre podem vir a ser descobertos.
    Abraço.

Leave A Comment