Como fazer SEO no Google Shopping

Como tudo no Google gira em função da relevância, é de se esperar que esteja havendo algum critério em torno disso na classificação das empresas na página de respostas do Google Shopping. Essa é uma preocupação que faz sentido, uma vez que dificilmente o Google lançaria qualquer tipo de busca que não levasse com ela a merca registrada do Google, a relevância como fator de rankeamento nas páginas de respostas. Certeza ninguém tem, mas existem alguns indícios que revelam que sim, o Google usa critérios de SEO para o posicionamento de empresas nas listagens do Google Shopping. Para chegar a essa conclusão, bastou analisar com cuidado essas listagens e pesquisar em alguns blogs do próprio Google.

A inserção de seus produtos no Google Shopping é relativamente simples e foi discutido em nosso artigo Como Anunciar no Google Shopping. Algumas plataformas de e-commerce já estão se preparando para transformar o processo em uma tarefa bem mais simples, automatizando os procedimento. Fica portanto, a questão do posicionamento dos produtos.

Quais seriam os parâmetros para um bom posicionamento no Google Shopping

A tendência é que o Google use parâmetros parecidos com os utilizados para a busca comum. Isso inclusive facilitaria em muito o aproveitamento do algoritmo tradicional no Google Shopping.

Preço, o critério base

Como em qualquer comparador, o preço é o critério básico e absoluto. Sem um preço competitivo, não há técnica de SEO que melhore o seu ranking. É o que eu digo em nosso curso sobre criação de lojas virtuais, se você não tem preço competitivo, é melhor nem entrar no segmento, porque o usuário atualmente navega pela sus loja com um comparador de preços aberto em outra aba. Com a chegada do Google Shopping isso deve se tornar cada vez mais comum, afinal a ferramenta está ali mesmo, na sus página de respostas do Google.

O PageRank faz diferença?

Nesse primeiro momento acredito que não. A bem da verdade, o PageRank não funciona como fator de rankeamento já há algum tempo. Acredito que fatores mais ligados ao Trust Rank como idade do domínio e reviews positivos sejam mais importantes.

O Título da Página

Como no processo de SEO tradicional, parece que a tag title da página da loja virtual faz alguma diferença em termos de posicionamento. Isso faz sentido uma vez que essa é uma das tags mais relevantes no SEO tradicional e a bem da verdade uma apresentação inicial do seu conteúdo. Respeite as regras básicas de SEO em relação a tag Title mantendo-a em 60 caracteres e bem objetiva. Exercite seu poder de síntese e deixe as coisas correrem de forma natural.

Descrição do produto

Um dos principais pecados no SEO para e-commerce é a cópia de conteúdo fornecido pelo fabricante. Não bastasse a revisão Panda, você ainda corre o risco de cair no lugar comum das descrições sem paixão. As descrições de produtos em lojas virtuais são cada vez mais fatores de rankeamento e também de conversão. Uma descrição única e coordenada certamente farão uma grande diferença no seu posicionamento.

Atualizações constantes

Esse sempre foi um fator de rankeamento muito apreciado pelo Google. Manter seu feed do Google Shopping sempre atualizado com as alterações que ocorrem na sua loja certamente contribuirá para  a relevância do seu conteúdo e consequentemente melhorará o seu posicionamento nas páginas de respostas.

Pois bem pessoal, é isso ai. Não tem nada de secreto ou esotérico em se conseguir um bom posicionamento no Google Shopping. Existem técnicas de SEO para melhorar o posicionamento? Provavelmente sim, mas antes de tudo, existe coerência. Em nosso curso de SEO sempre inicio o treinamento frisando que mais do que conhecer as técnicas de otimização de sites para ferramentas de busca, é importante entender como pensam os buscadores. Simples assim, sem mistificação. Com o Google Shopping não há de ser diferente.

Alberto Valle, consultor e instrutor do Curso de E-Commerce

Avalie este artigo!