Mercado digital começa 2010 com boas oportunidades de emprego no Brasil

O avanço das redes sociais e das tecnologias móveis no Brasil ampliou a participação das agências digitais  e dos desenvolvedores especializados no mercado digital. Combinando tecnologia da informação, comunicação e marketing, as empresas buscam em uma escala maior profissionais pró-ativos e com capacidade de interagir com os novos meios.

E, para os que buscam novos desafios, 2010 começa promissor. Uma rápida consulta feita pelo IDG Now! constatou que apenas quatro empresas somam 30 vagas de trabalho disponíveis.

As pesquisas refletem essa movimentação. Em dezembro de 2009, a Associação Paulista das Agências Digitais (APADi) divulgou um levantamento sobre o mercado digital de São Paulo, tido como o maior do país.

De acordo com a pesquisa, as agências digitais paulistas deverão registrar um aumento de quase 16% sobre o faturamento do ano de 2008 (o balanço final de 2009 ainda não foi realizado). A associação calcula que o faturamento de 2009 tenha ficado na ordem de 405 milhões de reais, ante os 350 milhões registrados em 2008.

Há vagas no mercado digital

Não é só. No ano de 2009, cerca de 6 mil profissionais foram empregados pelas empresas da área digital. Os serviços que mais demandaram profissionais foram os de programação, criação e manutenção de redes sociais e campanhas online.

Segundo a associação, as ofertas de searching, mídia e mobile marketing também merecem destaque. Em comunicado à imprensa, o presidente da associação, Cláudio Coelho, lembra que, além de este crescimento já ser expressivo, é preciso lembrar que 2009 foi um ano difícil em todos os setores da economia mundial.

Se mesmo com a crise econômica ainda assustando as companhias, o ano terminou com êxito, como serão as contratações para 2010?

“O mercado de 2010 promete bastante, em especial na área de prestações de serviços e de mídia social. Os salários também serão maiores do que os do ano passado, variando entre 6 e 8 mil reais para um programador de Flash, por exemplo”, explica Coelho.

Muitas agências acabam terceirizando os serviços em outros estados, onde existe mão de obra disponível. Segundo o presidente da APADi, a mão de obra em São Paulo é escassa.

Economia digital contrata
Avalie este artigo!